Eventos

2024-05-15

As vantagens de um concelho com 5 mil habitantes para receber o «Soil to Soul»

 
O presidente da Câmara do Alandroal puxa pelos argumentos do Município para receber de braços abertos o movimento «Soil to Soul», criado em Zurique (Suíça), e que está de regresso ao Castelo do Alandroal, dias 25 e 26 de Maio, depois da primeira edição ter surpreendido em 2022

   «É um prazer estar associado a este evento. Somos um concelho de interior, temos 500 quilómetros quadrados de território para 5 mil pessoas. Se temos algumas desvantagens, temos também um conjunto enorme de vantagens. Uma delas é um território muito conservado e preservado, muito próximo do seu ambiente natural, com uma agricultura não agressiva e regenerativa», exemplifica João Maria Grilo.

   Segundo o autarca, as próprias políticas reflectem isso, apostando «na preservação, sustentabilidade, ligação à natureza e ao que ela dá em cada momento, não sendo forçada para isso».

   João Maria Grilo acredita no conceito «Soil to Soul» e ambiciona ir mais longe: «Estamos alinhados a vários níveis e queremos fazer crescer este evento em todas as suas vertentes, pela aproximação de pessoas, culturas e experiências que promove. Dificilmente se conseguiria de outra forma», afirma o edil do Alandroal.

   O regresso a Portugal do movimento «Soil to Soul» - Somos o que comemos - que foi criado por Thomas Sterchi, em Zurique, é promovido pela Câmara do Alandroal e pela equipa do projecto «Soil to Soul» em Zurique, onde o conceito assume o formato de um festival de acesso gratuito.

   «Agricultura regenerativa deve ser a base para uma gastronomia sustentável e comida honesta. Desta forma fecha-se o ciclo do solo à alma», afirma Thomas Sterchi, fundador do movimento internacional, destacando a ligação entre a biodiversidade saudável do solo e a biodiversidade saudável do microbioma humano.

   Para Paulo Amado, que dirige o evento em Portugal, «é muito relevante a promoção do conhecimento relativo à produção alimentar saudável, ao reforço da ideia de que os produtos alimentares têm a sua estação óptima e que não é durante todo o ano. Num ambiente de partilha e crescimento, sabemos que a restauração tem um papel de grande importância e que isso é uma afirmação dos territórios, da gastronomia e da identidade que queremos projectar».


Chefs e programa 

   O programa deste festival, que visa sensibilizar a comunidade para a conservação de recursos naturais, está recheado de arte, cultura, gastronomia e momentos musicais, com dois concertos (um em cada dia do festival). Este ano actuam Sean Riley & The Slowriders, e de Gizmo Varillas, um letrista e músico espanhol. A música ambiente em ambos os dias estará a cargo do DJ Rai, do Incógnito.
 
   Com o mote «Somos o que comemos», o evento contará com a presença de alguns chefs nacionais. Confirmados estão já Francesco Ogliari (restaurante Tua Madre, Évora), Bruno Caseiro e Tomoe Hayase (Cavalariça, Évora), André Cruz (restaurante Feitoria), Lara Espírito Santo e George McLeod (Restaurabte Sem, Lisboa), Diogo Formiga, Mauro Alison, Vítor Adão (restaurante Plano, Lisboa) Anne Karen (restaurante Pastus,Oeiras)

 
   A pedra de toque para as construções culinárias continua a ser o da portabilidade da cozinha portuguesa, esperando-se propostas confeccionadas com os mais frescos produtos locais de diversos produtores que irão marcar presença neste encontro de sabores genuínos e conscientes. 

   O festival contará também com artesãos da região, e com vários oradores - entre eles Olga Cavaleiro, Esther Henneberke e Mónica Tereno, que irão discutir em vários debates a cadeia de valor que vai desde a produção até ao consumidor, alertando para a relevância deste movimento. 

   Elsa Lamy, do Instituto para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento da Universidade de Évora, vai também marcar presença, com uma palestra sobre a dieta mediterrânica e a sua pesquisa relativa à importância e complexidade da saliva.

   Cogumelos do Alentejo, Freixo do Meio, Paisagindo Bio, Terramay, Montanheira ou Why Not (que patrocina  um bar de cocktails que cria misturas orgânicas), entre outros, fazem parte do leque de parceiros e produtores que marcará presença no mercado do Castelo de Alandroal, local onde decorrerá o festival «Soil to Soul Alandroal - Somos o que comemos».

Artigos Relacionados

« Voltar