Notícias

2023-10-16

Agricultores lamentam simulacro de cheia no Guadiana em ano de seca

 
A FAABA – Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo «não  compreende» como é que num ano em que se perspectivava seco «tenha sido decidido pelas autoridades competentes a realização de um simulacro de cheia no Rio Guadiana já em plena campanha de rega»

   Através de um comunicado, a FAABA revela que a operação consumiu «50 milhões de metros cúbicos», traduzindo  «quase 10% do volume anual de água disponível no Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva para a agricultura».

   A posição foi tornada pública esta tarde, tendo a mesma federação revelado que vai apresentar ao Ministério da Agricultura «um conjunto de reivindicações de curto e médio prazo relacionadas com a seca», que, segundo diz, «está a provocar uma acentuada disrupção na actividade agro-pecuária da região do Alentejo». Alerta que a inexistência de pastagens, palhas e fenos, bem como os elevados custos de produção, «estão a levar muitos produtores a venderem animais, ou até mesmo, a cessarem a actividade». 

   Acrescenta que as margens obtidas «são já negativas e as ajudas já não chegam para compensar as perdas de rendimento cada vez mais acentuadas. Como se isto não bastasse, a água para abeberamento dos animais começa, em muitos casos, também a faltar», sublinha.

   As decisões da EDIA relativamente à disponibilização de água para a agricultura também merecem contestação. «Na actual campanha de rega, foram definidas dotações de rega para as diversas culturas que rapidamente se manifestaram insuficientes face à situação de seca», acrescenta a FAABA. 

   Mais. «Como consequência, uma vez atingida a dotação definida, a EDIA procede ao corte do fornecimento de água aos agricultores, independentemente do volume que terá sido ultrapassado», denunciam os dirigentes, para quem, «tratando-se de uma situação nova, seria desejável uma actuação mais pedagógica e flexível, tal como aconteceu com algumas associações de regantes nossas associadas, em que a gestão da água para rega é feita pelos próprios agricultores.»

Artigos Relacionados

« Voltar