Notícias

2023-05-11

Lã presa nas cercas? Há más notícias para o Alentejo

 
As ovelhas de Armando Monteiro tentam fazer pela vida entre o escasso pasto que ainda se deixa avistar ao longo dos mais de 20 hectares de terreno, porque a seca já está a fazer mossa nos campos agrícolas do Alto Alentejo
 
TEXTO l Roberto Dores

 
   Estamos numa parcela entre Elvas e Monforte, onde a seca avança «quase ao minuto», parafraseando Armando, testemunhando o agricultor que num ano dito normal o rebanho ainda teria o que comer com a Primavera a meio da viagem. Mas não. «Estamos já a lidar com um passivo acumulado», lamenta, justificando que as dificuldades se avolumam todos os anos, ao ponto de no final de Abril se ter visto obrigado a começar a alimentar o gado à mão.

   Conta o mesmo agricultor que a lã que se vê presa às cercas de arame também ilustra os tempos de escassez para as cerca de 200 cabeças de gado que andam na pastagem. Ou seja, explica, «as ovelhas metem a cabeça fora da cerca para tentarem comer a erva que está lá fora, porque a do lado de dentro da pastagem já não chega para as alimentar».

 
   Não é de hoje. «Há várias semanas que não existem pastagens. É preciso pôr nos campos feno e ração, o que só deveria acontecer lá mais para a frente. Repare que estamos no início de Maio e desde Abril que andamos nisto. É muito precoce. O que será no Verão?», questiona João Carreira, outro produtor alentejano, assinalando que em «condições normais os campos no Alentejo deveriam estar verdejantes, mas estão secos»

   Recorde-se que em Abril as temperaturas chegaram aos 35 graus.
 

Artigos Relacionados

« Voltar