Notícias

2023-06-25

«Estremoz foi especial e o público foi incrível. Quero voltar»

 
Sara Correia ainda se recompunha de uma actuação soberba em plena praça de toiros de Estremoz e já o público estava a pedir «mais um» fado. Escolheu «Estranha forma de vida» para fechar evocando Amália, a sua referência. Mas cedeu aos desejos da plateia e retomou «Quero é viver»
 
TEXTO l Roberto Dores
 
   Minutos depois foi ao encontro dos fãs para fotos, abraços, sorrisos largos ou autógrafos. «Não são todos os artistas que fazem isto, mas a Sara faz», sublinhava ainda em palco José Gonçalez, director artístico do Festival de Fado de Estremoz.


   Perguntámos à fadista como vai recordar esta actuação? «Estremoz foi especial. A noite foi linda e o público foi incrível. São pessoas que respeitam o fado e que participaram no espectáculo. Isso deixa-me muito feliz e orgulhosa. Quero voltar», dizia a fadista.


   Sara Correia mostrava-se ainda «maravilhada» com o cenário que marcou a noite. «É um privilégio cantar numa praça de toiros. Identifico-me muito. A minha alcunha é toureira, pela forma de cantar», referiu, admitindo ter ficado com curiosidade de «conhecer os bonecos de Estremoz». 

   No final da actuação recebeu uma Primavera das mãos do presidente de autarquia, José Daniel Sádio, confessando-se surpreendida com a imagem. «Aprendi que são património mundial e nunca mais vou esquecer essa referência.»



   Tal como o público, José Gonçalez aplaudiu Sara Correia de pé, colocando-a «entre as maiores artistas da actualidade», recordando que tem conseguido conquistar o seu espaço saindo da zona de conforto. «Tem uma grande voz que lhe permite arriscar. Recordo que a Amália, quando saiu dos fados tradicionais para os fados musicados, como a  Gaivota, a crítica e os músicos diziam que eram óperas. Hoje são fados clássicos. Às vezes é preciso ter esse arrojo e a Sara tem esse mérito.»
 

Artigos Relacionados

« Voltar